Mãe assassina Theresa Knorr

Theresa Knorr: mãe assassina e torturadora

Murillo Costa | 05/set/2018

O que a real mãe assassina Theresa Knorr e o livro Menina Boa Menina Má têm em comum?

O caso real de Theresa Knorr, mãe assassina e torturadora dos filhos e marido, é uma história sombria e triste, que nos serve de base para falar do livro Menina Boa Menina Má. O lançamento da editora Record conta o trauma de Annie, uma menina prestes a fazer 16 anos que denuncia a mãe, assassina em série.

Lembre-se de compartilhar esse artigo com seus amigos que gostam de um bom thriller psicológico. Os botões para isso estão no final dessa página.

Quem é Theresa Knorr

Theresa Knorr é uma mulher norte-americana natural de Sacramento, Califórnia. Atualmente com 72 anos, cumpre duas penas de prisão perpétua pelo assassinato de duas de suas filhas e de seu primeiro marido.

Theresa Knorr teve um começo de vida pesado e trágico. Seu pai, Jim, foi diagnosticado com a doença de Parkinson no final dos anos 1950, o que lhe custou o emprego. Após esse afastamento forçado, o homem entrou em depressão e se tornou agressivo para Theresa e seus irmãos.

Theresa Knorr

Em 1961, a mãe de Theresa, Swannie, sofreu uma insuficiência cardíaca congestiva e morreu nos braços de Theresa enquanto iam para um comércio próximo de onde moravam. Ela era muito ligada à mãe e, após esse episódio trágico, a jovem entrou num estado profundo de depressão.

Com o pai impedido de trabalhar, a casa da família precisou ser vendida. Theresa, vulnerável devido a todos os impactos que a sua família levava, decidiu se casar com um homem cinco anos mais velho, chamado Sanders. Ela tinha apenas 16 anos.

Após o casamento, Theresa Knorr abandonou a escola. Devido sua insegurança e instabilidade, ela mantinha seu marido sob o máximo de controle que conseguia, gerando os primeiros atritos no casamento.

O nascimento do primeiro filho do casal, Howard, trouxe um período de paz, entretanto, não durou muito. Após uma briga séria, Sanders decidiu ir embora de casa. Enquanto tentava sair, Theresa o matou com um tiro de espingarda. Ela estava grávida de Sheila, sua segunda gestação.

Ela se livrou da prisão pelo assassinato de Sanders alegando legítima defesa.

Como Theresa Knorr se tornou a mãe assassina e torturadora

Após a morte de Sanders e o nascimento de Sheila, em 1965, Theresa Knorr se relacionou com vários homens e chegou a se casar com alguns. Esses casamentos não duraram muito, assim como o primeiro. Ela se tornou mãe de mais quatro crianças: Suesan Marlene, William, Robert e, por fim, Theresa (Terry) Marie.

Devido à série de divórcios, Theresa Knorr afundou-se no álcool e decaiu ainda mais em sua condição mental instável. Ela se tornou muito mais agressiva com os filhos, confinando-os e até jogando facas neles.

Sua instabilidade emocional se tornou irrevogavelmente absurda quando ela fixou-se em Suesan, dizendo que a menina havia se tornado uma bruxa. Theresa havia ganhado muito peso e culpava a menina de tê-la enfeitiçado. Foi nesse ponto que a garota começou a ser torturada com comida: ela era obrigada a se sentar todos os dias com uma panela fervendo, cheia de macarrão, e não podia levantar antes de comer tudo.

Suesan decidiu fugir de casa e contar à polícia o que sofria nas mãos da mãe, mas os policiais acharam a história fantasiosa demais para ser verdade e foi devolvida à mãe. Em 1982, Theresa atirou em Suesan com uma pistola calibre 22, mas a menina não morreu.

Após ser esfaqueada por uma tesoura, Suesan pediu para ir embora de casa e, inacreditavelmente, a mãe deixou. Mas a bala alojada nas costas da menina devia ser retirada antes. Theresa, então, drogou e embebedou Suesan e, com a ajuda de Robert, removeu a bala de entre as costelas da menina numa cirurgia caseira.

Suesan pegou uma forte infecção e ficou gravemente doente. Em julho de 1984, Theresa levou Suesan a um riacho, com todos os seus pertences, a encharcou com gasolina e ateou fogo na menina.

Sheila também foi vítima de Theresa Knorr

A “família” de Theresa vivia à base de seu amparo fornecido pelo governo. A solução encontrada pela mãe foi prostituir Sheila. A menina, com 20 anos, não teve coragem de desobedecer e logo conseguiu trazer dinheiro para casa.

Em 1985, Theresa acusou a filha de estar grávida e infectada por alguma DST. Ela espancou a garota, a amarrou e trancafiou-a em um armário sem água e comida. Sheila morreu por inanição – morreu de fome.

O corpo de Sheila foi jogado num matagal, dentro de uma caixa de papelão. Para esconder as provas, Theresa mandou os filhos queimarem a casa onde viviam.

Como a mãe assassina foi parar na prisão

Em 1991, os filhos acabaram deixando a mãe, exceto Robert. Esses dois se mudaram para Las Vegas. Para trazer dinheiro para casa, Robert tentou assaltar um estabelecimento, mas acabou matando o barman. O rapaz foi preso e condenado a 16 anos. Apreensiva, Theresa mudou-se para Salt Lake City.

Em 1992, Terry, a filha mais nova, conseguiu a coragem necessária depois assistir a um episódio de American’s Most Wanted e denunciou a mãe. Após as investigações, Theresa foi acusada de assassinato, conspiração para assassinato, assassinato múltiplo e assassinato por tortura, o que lhe rendeu uma sentença de morte.

Em outubro de 1995, Theresa mudou seu depoimento e admitiu a culpa pelas mortes das filhas, o que reverteu a pena de morte em prisão perpétua, onde se encontra até hoje.

A história de Theresa Knorr e o livro Menina Boa Menina Má

A história de Theresa Knorr é um caso real que se assemelha à história narrada em Menina Boa Menina Má, um suspense psicológico intenso e sombrio. O livro é a nossa indicação de leitura desse mês.

No livro, Annie tem que enfrentar a mãe no tribunal após denunciar seus crimes de assassinato em série – assim como os filhos de Theresa tiveram de fazer nos julgamentos reais. Essa pressão soma-se ao fato dela ter sido adotada e enfrentar bullying da irmã adotiva e de suas amigas na escola nova. Menina Boa Menina Má explora a tensão psicológica e como as feridas profundas de uma infância devastada podem destruir o caminho à vida adulta.

O Central Autoria, nosso site literário parceiro, fez uma ótima resenha de Menina Boa Menina Má, clique aqui para conferir. Para conferir nossa última indicação de leitura, clique e conheça O Diário de Myriam.

Quer sugerir algum tema ou acrescentar alguma coisa à lamentável história de Theresa Knorr? Deixe nos comentários!

Sou o autor de Os Renegados, distopia pós-apocalíptica, editor do Central Autoria e locutor do Autoria Podcast. Também sou parceiro da saga de fantasia épica A Crônica Esférica. Webdesigner por formação, procuro compartilhar meus conhecimentos em Marketing Digital com outros escritores para que possamos formar juntos nossas carreiras.
0 Comentários
Deixe o seu comentário!